Veículos novos
Fale conosco pelo WhatsApp
Vendas: (51) 99856 7701
Peças: (51) 98101-9468
Assistência Técnica:
(51) 98204-9741
Compartilhe em:

Linha 2016 celebra os 35 anos de história do VW Gol no País


Gol é o modelo de maior sucesso no Brasil e acumula 27 anos de liderança no mercado brasileiro, superando o icônico Fusca

 

A linha 2016 do Gol comemora os 35 anos do modelo no Brasil, com inovação e recordes de produção no mercado brasileiro. Com incrementos em sua lista de equipamentos de série, o Gol oferece uma gama completa de versões e está ainda mais competitivo no segmento.

Entre as novidades da linha 2016 do Gol estão mudanças no acabamento e a adoção de detalhes cromados nas versões Comfortline e Highline, conferindo mais requinte e sofisticação ao modelo. O Gol passa a contar com retrorrefletores nos para-choques traseiros para todas as versões.

Nestes 35 anos de sucesso, o Volkswagen Gol acumula 27 anos consecutivos na liderança do mercado nacional. Projetado e desenvolvido no Brasil, o Gol foi lançado no dia 8 de maio de 1980 e está em sua 5ª geração, como protagonista de diversas marcas, recordes e inovações do setor. O modelo acumula 8,7 milhões de unidades produzidas, sendo que 7.755.071 unidades foram produzidas no Brasil e as demais em outros países como por exemplo, na Argentina, com peças fabricadas no Brasil.

Além disso, o Gol soma 6.581.972 unidades comercializadas no mercado nacional e 1,2 milhão de unidades exportadas para 66 países, sendo o automóvel nacional historicamente mais produzido, comercializado e exportado da indústria nacional.

O Gol também é o 8° modelo mais produzido do Grupo Volkswagen no mundo e o 7º mais produzido da marca Volkswagen no mundo. Antes dele os mais produzidos são, na ordem: Golf, Beetle, Jetta (incluindo Bora, Vento e Sagitar), Polo (hatch), Passat (incluindo Santana), Tranporter e Audi A4.

Gol – mais itens de série e exclusivo pacote cromo

Trendline. Versão de entrada para o Gol – que está disponível nas carrocerias duas e quatro portas –, tem opções de motores 1.0l Total Flex de até 76 cv ou 1.6l MSI de até 104 cv. Traz de série vidros dianteiros com acionamento elétrico, desembaçador traseiro (para o Gol estão incluídos limpador e lavador).

Comfortline. Em sua opção intermediária, o Gol Comfortline (oferecido exclusivamente com carroceria de quatro portas) passa a trazer de série detalhes cromados na cabine, rodas de 15 polegadas, com pneus 195/55 R15 e calotas “Kalahari”, faróis e lanterna de neblina e alterações no visual: a grade dianteira é agora em preto brilhante com inserto cromado.

Essa versão traz, adicionalmente à configuração Trendline, direção hidráulica, rádio CD-Player com sistema Bluetooth e entradas SD Card, USB e auxiliar e I-System, ar quente, abertura elétrica do porta-malas e itens pintados na cor do veículo, como capas dos espelhos retrovisores, maçanetas das portas e frisos laterais.

Além disso, a versão incorpora indicadores de direção (piscas) integrados nos espelhos retrovisores, defletor traseiro na cor do veículo, grade do radiador pintada em preto brilhante, coluna “B” externa com tape preto, faróis duplos com máscara negra, logotipo “Comfortline”, para-sois iluminados, alças no teto e três apoios de cabeça no banco traseiro.

Na versão Comfortline, o Gol pode ser equipado com o motor 1.0l Total Flex de até 76 cv ou com o 1.6l MSI de até 104 cv. Oferece, ainda, a opção do câmbio automatizado I-Motion para a motorização 1.6l MSI.

Highline. Na configuração topo de linha, o Gol Highline (apenas na carroceria de quatro portas), oferecido exclusivamente com motor 1.6l MSI de até 104 cv, traz nova grade dianteira em preto brilhante com inserto cromado, frisos cromados nos faróis e detalhes internos – aro da alavanca de câmbio, molduras das saídas de ar, botões de ventilação e maçaneta, entre outros – também cromados, garantindo mais requinte e sofisticação à família Gol. As rodas de liga leve de 15 polegadas “Gobi” têm pneus 195/55 R15.

O modelo sai de fábrica com todo o conteúdo da versão Comfortline, além de ar-condicionado, vidros dianteiros e traseiros com acionamento elétrico, alarme Keyless, retrovisores com ajuste elétrico, volante multifuncional revestido de couro (com controles do sistema de som e de telefonia), faróis e lanterna de neblina, regulagem de altura e distância do volante, sensores traseiros de estacionamento e sobretapetes com pinos de fixação no assoalho, do lado do motorista, evitando sua movimentação.

Entre os opcionais para a versão Highline do Gol estão o revestimento dos bancos de couro sintético “Native” e o kit “Tecnologia”, que conta com sensores de chuva e de luminosidade (crepuscular), controlador de velocidade de cruzeiro (piloto automático) e sistema coming/leaving home. São também opcionais as rodas de 16 polegadas “Torino”, com pneus 195/50 R16.

Gol Track e Rallye. O Gol oferece as versões aventureiras Rallye e Track, que têm em comum a maior altura em relação ao solo, comparados às demais versões do Gol. A elevação da suspensão facilita a transposição de obstáculos em estradas de terra e caminhos mal pavimentados. No total, são 28 mm a mais na suspensão do Gol Rallye e 23 mm na do Gol Track. Ambas as versões são oferecidas exclusivamente com carroceria de quatro portas.

O Gol Track tem motor 1.0l TEC Total Flex de 76 cv (etanol), sempre combinado ao câmbio manual de cinco marchas.

O Gol Rallye vem equipado com o novo motor 1.6l MSI de até 120 cv (etanol) e é oferecido com a opção de câmbio manual ou automatizado I-Motion – com a versão 2 de aplicação do software de gerenciamento eletrônico, que proporciona trocas de marcha ainda mais suaves e precisas.

Em relação aos itens de série, o Gol Rallye oferece os mesmos equipamentos do Gol Highline, com o acréscimo das molduras nas caixas de rodas, interior escurecido, faróis auxiliares de dupla função (neblina e longo alcance) com aros cromados e rodas de liga leve de 16 polegadas com o design “Pikes”, com pintura preto brilhante e acabamento diamantado (opcionalmente, na cor prata escurecida) e pneus 195/50 R16.

Para o Gol Track a lista de equipamentos inclui os mesmos itens da versão Trendline, além de direção hidráulica, abertura elétrica do porta-malas, faróis e lanterna de neblina, lanternas escurecidas, três apoios de cabeça no banco traseiro e defletor na tampa do porta-malas, entre outros itens. As rodas de aço de 14 polegadas, com calotas “Uyuni”, trazem pneus 175/70 R14.

35 anos do Gol – Uma história de sucesso

A trajetória vitoriosa do Gol tem uma base sólida: ele foi criado pensando no Brasil e nos motoristas brasileiros, mas ultrapassou fronteiras. O projeto, iniciado em 1976, foi desenvolvido levando em conta as condições de uso no País, juntamente com as necessidades e aspirações dos consumidores nacionais, enfatizando a resistência, economia e durabilidade. Tudo isso com capacidade para levar cinco pessoas e bagagem com conforto e um visual moderno e equilibrado, capaz de despertar a atenção por onde passasse. Para completar, um nome com profunda ligação emocional num País onde a paixão pelo futebol transcende os limites do esporte, confundindo-se em alguns momentos com civismo e orgulho nacional.

O primeiro Gol tinha motor refrigerado a ar, com 1.300 cm³ e 47 cv (uma variação do usado no Fusca, com que conviveria até 1986) e câmbio com quatro marchas. Suas linhas eram inspiradas nas do Passat, modelo de porte médio da Volkswagen que fazia sucesso na época. Com carroceria tipo hatch e perfil aerodinâmico, o primeiro Gol era oferecido nas versões S e L, ambas com duas portas. Entre os anos 1970 e o final da década de 1990, com raras exceções, carros com quatro portas não tinham aceitação no mercado brasileiro.

Já em 1981 o Gol ganhou um motor mais potente, com 1,6 litro e 67 cv, também refrigerado a ar. A primeira versão com motor de quatro cilindros em linha, com refrigeração líquida e câmbio de cinco marchas, foi lançada em 1984. Logo em seguida viriam os motores 1,6 litro e o primeiro Gol GT, com 1,8 litro.

Em suas cinco primeiras gerações, o Gol passou por uma contínua evolução tecnológica, introduzindo no país novidades que revolucionaram a indústria nacional. O Gol GTI, em 1989, foi o primeiro carro brasileiro com injeção eletrônica, com um sistema analógico que teve que ser totalmente desenvolvido no País, já que na época a importação de equipamentos digitais, disponíveis no exterior, era proibida. A injeção eletrônica multiponto, já com sistema digital, um importante avanço, passou a ser oferecida em 1997.

Em 2003, o Gol Total Flex foi o primeiro automóvel capaz de rodar com gasolina, álcool ou qualquer mistura dos dois combustíveis, abrindo a era dos motores flexíveis que hoje dominam o mercado brasileiro. Outro marco da história do Gol foi a introdução dos motores 1.0 com 16 válvulas e 1.0 turbo 16 v. Acompanhando uma nova tendência de mercado, o carro também passou a ser oferecido com o câmbio automatizado I-Motion e, com foco na mobilidade sustentável, a Volkswagen lançou em 2010 o Gol Ecomotion, equipado com diferencial alongado, pneus com menor resistência à rolagem e indicador de consumo instantâneo no painel de instrumentos.

Família Gol

O Gol foi também o primeiro veículo da Volkswagen do Brasil criado para dar origem a uma família de veículos. Dele derivaram o sedã Voyage, a station wagon Parati e a picape Saveiro – modelos muito bem acolhidos pelo consumidor brasileiro. Na década de 1980, a Parati foi o carro de desejo das famílias brasileiras de classe média, resultado de sua concepção prática, espaço interno e confiabilidade mecânica.
Lançado em 1981 em duas versões, ambas com duas portas, já com motor de 1,5 litro refrigerado a água, o sedã Voyage também foi bem acolhido no mercado brasileiro. A versão inicial do Voyage deixou de ser fabricada em 1996, tendo vendido mais de 700 mil unidades. O sedã voltou ao mercado em 2008, com plataforma inteiramente nova, com motor transversal. Desenvolvido simultaneamente com o Gol G5, o Voyage chegou com quatro portas e linhas modernas, marcadas pela suavidade, em versões com motores 1.0l ou 1.6l.

A picape Saveiro, lançada em 1982, é outro membro de sucesso da família Gol. Ela chegou ao mercado com duas versões, S e LS, com motor de 1.600 cm³ refrigerado a ar, com versões movidas a álcool ou gasolina, e câmbio de quatro velocidades. Entre 1989 e 1991, a Saveiro teve uma versão movida a diesel que, embora custasse mais caro, foi bem acolhida pela grande economia no consumo de combustível. A opção foi abandonada devido à mudança da legislação, que restringiu o uso do diesel para veículos de maior porte e utilitários voltados para o off-road pesado.

Totalmente nova, baseada no Gol G5, a atual geração da Saveiro chegou em 2009, equipada com o motor EA-111 1.6l VHT montado transversalmente e a transmissão MQ200. As caixas de rodas traseiras, mais estreitas, permitiram a ampliação da caçamba. Com design totalmente novo, a Saveiro foi lançada oferecendo também a opção de cabine estendida. Em fevereiro de 2010, a Volkswagen lançou a versão aventureira da picape, a Saveiro Cross, e em agosto de 2014, a Cabine Dupla.

O Gol “Bolinha”

A primeira grande transformação do Gol aconteceu em 1994, com o lançamento da segunda geração do modelo, desenvolvida a partir de uma pesquisa que apontou o que deveria ser aperfeiçoado na opinião dos proprietários do carro. O design arredondado e inovador logo motivou o apelido carinhoso de Gol “Bolinha”.

O Gol Geração II ganhou mais espaço interno, porta-malas maior, mais segurança e menor nível de ruído, já adaptado aos novos padrões mundiais de proteção ambiental, com componentes antipoluentes, utilização de materiais recicláveis e produtos naturais. Em 1998 surge a versão quatro portas, uma resposta à nova tendência do mercado brasileiro, já influenciado pelos modelos chegados ao país desde o início da década com a abertura das importações de veículos.

Geração III

Lançada em maio de 1999, a terceira geração do Gol deu ao carro novas linhas, com um caráter mais esportivo. A nova linha também introduziu novos padrões de qualidade na fabricação do carro: maior uniformidade e menores folgas nas junções dos painéis da carroceria, reforço estrutural minimizando as torções do monobloco, maior uso (70%) de chapas zincadas, resistentes à ferrugem, e novos tecidos e materiais de revestimento interno. O Gol Geração III foi o primeiro carro do segmento, no Brasil, a oferecer cinco anos de garantia contra a corrosão.

Em 2001, o Gol superou o Fusca como carro mais vendido no Brasil. Outro fato marcante da terceira geração do Gol foi a introdução do motor 1.6 Total Flex, em março de 2003, tornando o carro precursor da tecnologia flexível, que iria tornar-se dominante na indústria automotiva brasileira. Outra novidade do Geração III foram os módulos opcionais de personalização, permitindo aos compradores maior flexibilidade na aquisição de componentes adicionais. Em 2003, o Gol atingiu o marco de quatro milhões de unidades produzidas.

Gol G4

A quarta geração do Gol chegou no mês de agosto de 2005. O carro mais vendido do país ganhou um design com linhas mais limpas e arredondadas, reforçando seu caráter de robustez e esportividade. A nova traseira do Gol G4 também contribuiu, com a adoção de elementos circulares nas lanternas e de um novo aerofólio, integrado à tampa do porta-malas. O para-choque integrado à carroceria contribuiu para dar uma impressão de maior porte, além de melhorar a visibilidade. Na dianteira, o novo design destacava o elemento em “V”, alinhando o carro com a identidade mundial da marca Volkswagen.

Uma total renovação marcou a introdução da quinta geração do Gol. Chamá-lo de Novo Gol não foi exagero: aguardado pelo mercado com imensa expectativa, o carro ganhou uma nova plataforma, com o motor e câmbio posicionados transversalmente, maior largura e maior altura. A nova arquitetura permitiu encurtar a carroceria e, simultaneamente, aumentar o conforto interno. Uma nova suspensão e sistema de direção, inspirados nos do Polo, deram ao carro mais estabilidade e uma dirigibilidade nitidamente superior.

Um ano depois, o Gol G5 passou a oferecer, como opcional, a nova transmissão automatizada I-Motion, um importante passo para, mais uma vez, atender à evolução do mercado brasileiro. Com custo muito inferior ao dos câmbios automáticos convencionais, o sistema automatizado proporciona o conforto das trocas de marchas automáticas, apreciado sobremaneira no trânsito pesado das grandes cidades, sem prejuízo no desempenho e consumo de combustível.

Em 2010, uma grande festa realizada em São Paulo, no Sambódromo do Anhembi, marcou os 30 anos do Gol, com a presença de dezenas de milhares de pessoas, em grande parte proprietários do carro e suas famílias. Na ocasião, pela primeira vez um Gol recebeu placas pretas, privativas de veículos históricos em perfeitas condições originais. Vários shows abrilhantaram o evento, no qual foi apresentado o protótipo da versão Vintage, que seria produzida no início de 2011 numa limitadíssima e disputada série especial com apenas 30 unidades.

Novo Gol

Lançado em julho de 2012, o Novo Gol trouxe o design mundial da marca e mais inovação tecnológica, além de recursos que tornaram o modelo um dos carros mais atraentes e avançados em seu segmento de mercado. A nova linha também trouxe evolução em sua motorização 1.0 e novos equipamentos de série.

Além da evolução visual e da reestruturação da oferta de configurações, o Novo Gol recebeu uma arquitetura eletrônica completamente nova, uma das mais avançadas e complexas de sua categoria. Esse novo “esqueleto” eletrônico possibilitou a instalação de vários equipamentos inéditos no seu segmento.

Entre eles está o "Comfort Blinker", item que possibilita que o motorista, com um leve toque na alavanca de seta, indique a direção que pretende ir, sem necessariamente acionar a alavanca de seta completamente. Outro benefício da nova arquitetura é a inclusão do sistema ESS (Emergency Stop Signal ou Sinal de Frenagem de Emergência), herdado dos veículos alemães mais sofisticados do mercado.
O ESS funciona como um alerta para evitar colisões traseiras. Caso o motorista pressione o pedal de freio de forma acentuada, mantendo uma frenagem mais consistente, o sistema de segurança aciona as luzes traseiras de frenagem de forma intermitente. Após essa frenagem, com o veículo em estado estático, as luzes de freio param de piscar e o ESS aciona as luzes de pisca-alerta, indicando que o veículo parou.

Séries especiais

A história de sucesso do Gol é pontuada por um grande número de séries especiais, criadas para assinalar momentos históricos importantes ou trazer inovações almejadas pelos consumidores.

O primeiro Gol diferenciado foi o série Copa, lançado em 1982, comemorando a participação da Seleção Brasileira na Copa da Espanha. Se o time brasileiro, considerado um dos melhores já reunidos para uma copa, não obteve o resultado almejado, o Gol Copa revelou-se um grande sucesso, abrindo caminho para muitas outras edições diferenciadas.

Em 1995, os fãs da banda inglesa Rolling Stones puderam comemorar a primeira temporada brasileira do grupo a bordo do Gol Rolling Stones, que teve 12 mil unidades comercializadas. No ano seguinte, a Volkswagen lançou o Gol Atlanta homenageando a cidade sede dos Jogos Olímpicos disputados nos Estados Unidos.

Outra série bem-sucedida foi a Fun, lançada em maio de 2001, que conquistou o público de espírito jovem tendo como destaque exclusivo a moldura dos faróis duplos pintada na cor do veículo. Depois vieram as séries Gol Highway I e II, lançadas respectivamente em 2001 e 2003, equipadas com motor 16 válvulas, e a série Gol Rallye, em 2004, com suspensão elevada e estilo off-road, relançado em 2007. Outra série especial atendeu aos desejos do consumidor que acabou incorporada à linha permanente: o Gol Power, lançado em 2001.

O lançamento de séries especiais prosseguiu em 2006, com um novo Gol Copa, celebrando o campeonato mundial realizado na Alemanha, e o Gol Tech, com produção limitada vendida apenas no estado de São Paulo. Em 2010, a Volkswagen assinalou o patrocínio da seleção brasileira na copa realizada na África do Sul.

O ano de 2011 começou inspirado na música, com o lançamento da edição Vintage, com apenas 30 exemplares, e o Gol Rock in Rio, celebrando o evento internacional acontecido no Rio de Janeiro. Duas séries especiais a mais também foram lançadas: o Gol Black e o Gol 25 Anos, este último para comemorar os 25 anos de liderança de vendas do modelo no mercado brasileiro.

Gol: o modelo mais exportado da história da indústria automobilística brasileira

O Volkswagen Gol é o modelo mais exportado da história da indústria automobilística brasileira, tendo totalizado, em 2014, mais de 1,2 milhão de unidades enviadas a 66 países das Américas, África, Ásia, Oriente Médio e Europa. O modelo é também o mais produzido da história da indústria nacional, com mais de 7,5 milhões de unidades fabricadas no Brasil.
O Gol começou a ser exportado já no ano de seu lançamento, 1980, quando foram enviadas 49 unidades para o Paraguai e Nigéria. Atualmente, os principais mercados do Gol no exterior são o México e a Argentina, onde o carro brasileiro liderou o mercado por mais de 12 anos consecutivos.

O Gol exportação passa por adaptações apenas para se adequar às exigências legais de cada país. Tecnicamente, a principal mudança ocorre nos sistemas de injeção e gerenciamento dos motores para rodar com gasolina sem adição de etanol, que difere do combustível vendido no Brasil.

Para poder ser exportado para a Rússia, por exemplo, Gol passou por testes de resistência para enfrentar baixas temperaturas, que podem chegar a 40ºC negativos. Além da umidade relativa do ar entre 20% e 90%, foram simuladas as mais variadas condições climáticas entre 40ºC e 60ºC negativos. Os componentes que receberam avaliação extremamente rigorosa foram elétricos, guarnições, motor e câmbio. O projeto foi realizado entre 2004 e 2005, com 1.609 unidades exportadas.

O Gol em números:

  • 27 anos consecutivos como o mais vendido no mercado nacional, é o carro que se manteve na liderança pelo maior período de toda a história da indústria no País
  • 6.581.972 unidades comercializadas no mercado nacional
  • 1,2 milhão de unidades exportadas para 66 países
  • 8,7 milhões de unidades produzidas desde seu lançamento incluindo os períodos quando foi produzido na Argentina e Irã

Itens relacionados:

Array ( [2] => 0.018808841705322 [3] => 0.24809384346008 [4] => 0.25332880020142 [5] => 0.42427086830139 [6] => 0.45549297332764 [7] => 0.45558881759644 )

Array ( [1] => A [00:49:37][1638244177.4623]\n [2] => BA [00:49:37][1638244177.4811]\n [3] => BX [00:49:37][1638244177.7104]\n [4] => CA [00:49:37][1638244177.7156]\n [5] => CB [00:49:37][1638244177.8865]\n [6] => CC [00:49:37][1638244177.9178]\n [7] => CD [00:49:37][1638244177.9179]\n )